Geral

Geral - 28/11/2017
CARTA ABERTA À, POPULAÇÃO: A VERDADE SOBRE A PREVIDÊNCIA

CARTA ABERTA À, POPULAÇÃO: A VERDADE SOBRE A PREVIDÊNCIA

TEXTO: +A -A

A chamada “nova proposta” ou proposta “enxuta” da REFORMA DA PREVIDÊNCIA é cruel para o conjunto da classe trabalhadora! Se aprovada, quem já contribui, seja para o Regime Geral (celetistas/contribuintes individuais), seja para o Regime Próprio dos servidores públicos, terá muita dificuldade de se aposentar!

O governo Temer governa sem o povo e contra o povo, massacra os trabalhadores e usa de estratégias divisionistas para avançar contra os direitos sociais, com a cumplicidade bem remunerada de Deputados e Senadores. E estes que não esqueçam! ”QUEM VOTA CONTRA O POVO, NÃO VOLTA!

Servidor público não é privilegiado! Vive do trabalho e serve ao público, tendo como objetivo garantir o funcionamento da máquina pública, a fim de que se concretize a responsabilidade social do Estado. Chega! O povo não é idiota! Sabe que, à margem do interesse público, direitos duramente conquistados são negociados no balcão do mercado, ávido por abocanhar novas fatias do orçamento público.

É notório que favorecer o capital tem sido a prioridade do governo Temer, que, para isso, usa de meios espúrios como propagar mentiras! Na sua ilegitimidade e impopularidade, passa por cima de tudo e de todos, principalmente da soberania popular, para emplacar reformas contrárias à maioria da população. Rasgou-se a CLT, impôs-se limites aos gastos sociais para destruir direitos. Agora a bola da vez é aprovar a todo custo a “reforma” ou deforma da previdência social pública brasileira.

Engana-se quem pensa que esse governo apresenta “nova proposta” ou proposta “enxuta”. Na verdade, a proposta é a mesma destruidora do sistema previdenciário público brasileiro apresentada com a PEC 287/2016. De “nova” quase nada tem! Sem justa regra de transição e desconsiderando direitos adquiridos, é um duro golpe aos fiéis contribuintes e à classe que vive do trabalho. Se for aprovada, impedirá que muitos trabalhadores e trabalhadoras possam se aposentar. Mantém as idades mínimas previstas no substitutivo à PEC 287/2016 (62 anos de idade para mulheres e 65 para homens); altera as regras para o cálculo dos benefícios, diminuindo o valor a ser recebido e aumentando o tempo de contribuição para o exercício do direito. Para conquistar a aposentadoria integral, será preciso contribuir por 40 anos!

E os verdadeiros privilegiados não são os assalariados! Não é o salário do servidor público concursado ou a conquista de um pequeno avanço na expectativa de vida por parte da população que quebra a Previdência, mas a corrupção, a sonegação, o grande desvio de recursos através da Desvinculação das Receitas da União – DRU, a dívida bilionária dos inadimplentes e as desonerações, entre outros fatores, o que demonstra a má gestão dos recursos públicos por parte do Governo, destruindo a Seguridade Social.

Privilégio é poder usar o cargo de Presidente da República, o dinheiro público e a máquina do Estado para obstruir a justiça, garantir a própria impunidade e ainda tentar enganar a população com mentiras!

Querer desmoralizar o servidor público? Não se aceita!
O risco do/da trabalhador(a) não conseguir acesso à previdência pública é uma realidade para todos/as! A previdência é patrimônio da sociedade brasileira. Não se trata, exclusivamente, de uma questão aritmética – receita menos despesa -, mas do principal instrumento de manutenção da ordem social no Brasil. Sua essência social é muito importante para ser desmontada, privatizada, submetida aos humores e interesses privados do mercado!

Vamos reagir!

Dia 28/11 haverá o Movimento Ocupa Brasília, aquecendo para a Greve Geral Nacional, dia 5/12!

Chega de mentiras! A soberania é do Povo e exercida pelo Povo! Fora Temer! Eleições diretas em 2018!

Quem vota, não volta!

Fonte: http://nosdoinss.blogspot.com.br/2017/11/CartaAbertaContraReforma.html#more