Geral

Geral - 05/04/2018
Gerente regional da Geap rebate críticas e promete melhorias no atendimento do interior do Estado

Gerente regional da Geap rebate críticas e promete melhorias no atendimento do interior do Estado

TEXTO: +A -A

Duas semanas após o combinado, o gerente regional da Geap Saúde Autogestão, Michael Jefferson, recebeu uma comissão do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social (Sinprece). A reunião, estilo mesa redonda, aconteceu na tarde dessa terça-feira (3) e foi iniciada com uma breve apresentação dos participantes.

Ao ser questionado pela diretora Evania Severiano, da Secretaria de Seguridade Social e Geap, sobre o descredenciamento de algumas unidades hospitalares, o gestor justificou que as empresas querem cobrar mais pelos serviços prestados. Segundo Michael, os empresários no ramo hospitalar querem uma correção financeira por falta de reajuste dos serviços que se perpetua por três anos.

A diretora da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), Carmem Marques, criticou o modelo de administração da Geap que funciona como cabide de emprego. A diretora também pontuou que a categoria não será conivente com erros grotescos.

Michael Jefferson se defendeu e disse que está preocupado com os beneficiários. O gestor se mostrou sensível a cada processo e comunicou a normalização no atendimento no Hospital São Carlos desde 1º de abril. Michael também afirmou que o atendimento no interior do Estado será melhorado, colocando como exemplo o credenciamento do Hospital São Camilo na cidade de Iguatu.

O gerente regional expôs alguns problemas resolvidos nos últimos quatro meses, quando chegou à Fundação Pública de Direito Privado. Segundo o gestor, a administração ficou engessada por encerramento de contrato com cooperados e negociações de paralisações.

O gestor assegurou que está buscando celeridade em todos os processos e, na ocasião, anunciou que o prédio funcionará em local mais moderno, no cruzamento da Rua Frederico Borges com Avenida Dom Luiz, na Aldeota. Sobre os débitos dos assistidos, haverá um acordo do confis que vai beneficiar quem está com parcelas em aberto. A Geap está disposta a parcelar a dívida, facilitando o pagamento.

A comissão assinalou outros problemas como a falta de experiência dos funcionários que ficam no balcão de atendimento, além da ausência de investimento tecnológico no setor. Sobre a informação de normalização no atendimento de alguns hospitais, a Geap reconheceu que o site está desatualizado, inviabilizando uma comunicação mais rápida entre assistidos e gestão.

Por fim, acordaram encontros quinzenais ou sempre que houver demandas. O Coletivo também propôs a participação de dois integrantes como representantes dos beneficiários nas atividades da Geap Saúde, todavia, Michael ficou de analisar a proposta.