Geral

Geral - 27/10/2019
A reforma da Previdência e os prejuízos humanitários vindouros

A reforma da Previdência e os prejuízos humanitários vindouros

TEXTO: +A -A

É com profundo pesar que nós, componentes da Diretoria Colegiada do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social (Sinprece) encerramos a semana em que a reforma da Previdência é aprovada no Brasil. Foram muitas manifestações, protestos e audiências públicas, mas os esforços não foram suficientes para barrar a PEC 06/2019. O projeto foi aprovado nessa terça-feira, 22 de outubro, em dois turnos, no Senado Federal, não tendo outro caminho a trilhar a não ser a estrada do caos social.

Talvez estejamos à frente de mais uma peça anacrônica. Um retrocesso que não há como mensurar os futuros prejuízos humanitários em que o trabalhador brasileiro será ainda mais escravizado. A política dos direitos sociais e da assistência social simplesmente foi rasgada, ação que deixará sequelas gravíssimas para todos os cidadãos, que trabalharão por mais tempo e contribuirão com uma alíquota maior, em casos específicos.

A Diretoria Colegiada do Sinprece repudia o posicionamento dos respectivos parlamentares que votaram a favor da pauta. O Sinprece também ressalta que não é a primeira vez que se manifesta acerca do assunto, que já havia sido exposto aos filiados e a sociedade por meio de atividades publicitárias, sendo o nosso entendimento único: essa PEC retrata a desonestidade e a fraude contra o povo brasileiro.

Foram 60 votos favoráveis e 19 contrários, um placar aterrorizante para um país que estremece com as desigualdades sociais crescentes e o alarmante aumento do desemprego. E foi com base nesta perspectiva social que o Sinprece nunca fugiu das discussões e ratifica a permanência da luta sindical em defesa dos trabalhadores.