Geral

Geral - 23/03/2019
Ato Nacional em defesa da Previdência Social leva milhares de pessoas às ruas

Ato Nacional em defesa da Previdência Social leva milhares de pessoas às ruas

TEXTO: +A -A
Embalados pela indignação e contrários a PEC 6/2019 (Reforma da Previdência), milhares de pessoas tomaram às ruas de Fortaleza e do interior do Ceará.  Na capital, os manifestantes seguiram em passeata, que teve início na Praça da Imprensa Chanceler Edson Queiroz até à Praça Portugal. Nos principais polos do interior, os trabalhadores se reuniram na Praça da Coluna, em Crateús; também se agruparam na Praça de Cuba, em Sobral; na Praça Matriz de Baturité e na Praça do Giradouro, no Cariri cearense.
Os manifestantes criticavam o governo Bolsonaro através de marchinhas e músicas, danças e discursos de lideranças. As falações foram mais afinadas. O sentimento que predominou, de maneira geral, era de total rejeição ao projeto que visa acabar com a aposentadoria dos trabalhadores, destruindo por total a Previdência Solidária e entregando para instituições bancárias privadas nacionais e internacionais a administração das contribuições efetivadas pelos trabalhadores ao longo de sua vida laboral.
Tiveram diversas paradas no percurso, porém, a que mais chamou atenção aconteceu no cruzamento das avenidas Desembargador Moreira com Santos Dumont, em frente às agências bancárias do Itaú, Bradesco, Santander e Brasil – as vias foram tomadas e o fluxo de veículos foi desviado pela Autarquia Municipal de Trânsito (AMC).
Em Crateús, movimentos sindicais e sociais, trabalhadores rurais, estudantes e servidores do INSS local e de Ipueiras expressavam uma só mensagem “Não a Reforma da Previdência”. Simbolicamente, ao fim do protesto, os manifestantes abraçaram à agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O ato, que ocorreu paralelamente em todo o Brasil, contou com a participação das mais diversas representações de categorias profissionais, contudo, vergonhosamente a grande mídia tentou abafar a voz do trabalhador.