Geral

Geral - 08/03/2021

Sinprece em defesa da vida, VACINA PARA TODOS JÁ!

TEXTO: +A -A

O Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social (SINPRECE) tomou conhecimento de vários casos de servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que foram contaminados pelo novo coronavírus e que estavam em trabalho presencial nas Agências da Capital e do Interior do Ceará. Também chegou ao nosso conhecimento que, a única medida adotada pela administração foi o afastamento dos servidores que testaram positivo, ou que estavam com suspeita da doença, ou seja, medidas sanitárias como a suspensão dos atendimentos presenciais e o fechamento das agências para sanitização adequada não foram realizadas.

Esse quadro é bastante preocupante e pode acarretar sérios prejuízos aos servidores e trabalhadores desses locais e a toda população atendida, que em sua maioria são de grupos de risco (idosos, pessoas com deficiência, outros); sobretudo nessa nova onda em que temos uma variante de maior transmissibilidade e quando cerca de 90% das UTIs dos hospitais públicos estão ocupadas e o Sistema de Saúde (tanto da rede pública como da rede privada) está à beira de um colapso.

É válido lembrar que o SINPRECE já tomou várias iniciativas, solicitou visitas do Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST para averiguar as condições de atendimento e de trabalho (EPIs, EPCs, outros) das agências do INSS em Fortaleza-CE e Caucaia-CE, inclusive disponibilizando o carro da entidade para deslocamento das equipes. Foi elaborado um relatório pela equipe do órgão com sua avaliação e recomendações para o instituto.

O documento foi enviado ao Gerente Executivo de Fortaleza para conhecimento e devidas providências. A diretoria também conseguiu 200 (duzentos) exames/testes de COVID junto à Secretaria Estadual de Saúde (SESA) para servidores que estavam no atendimento presencial nessas agências; solicitou aos três gerentes executivos do Ceará testagem de todos os servidores que retornariam ao trabalho presencial; buscou construir junto aos servidores uma greve sanitária em defesa da vida e pela permanência no trabalho remoto; participou de reunião com o Presidente do INSS por duas vezes para falar sobre a crise sanitária especificamente no Ceará e, por último, devido as medidas mais restritivas decretadas pelo Governo do Estado, impetrou ação judicial para que os servidores retornassem ao trabalho remoto bem como enviou ofício aos três gerentes executivos sobre a necessidade de tal medida, principalmente neste momento em que o Ceará tem se configurado como Epicentro da doença.

Infelizmente, o descaso e a negligência dos gestores da Instituição sobre essas situações de infecções junto aos servidores e de exposição da população e dos demais trabalhadores só demonstra a política de morte (também conhecida como necropolítica) adotada pelo governo federal, sobretudo nessa Pandemia. Não podemos deixar de falar da insuficiência e baixa qualidade dos equipamentos de proteção individual e, por último, o corte de pessoal que trabalha na limpeza dessas Agências, num momento em que se exigem medidas constantes de higiene/sanitização dos ambientes de trabalho e com atendimento ao público, mesmo em número reduzido e por agendamento.

A diretoria colegiada do Sinprece reforça a necessidade do isolamento social mais rígido tanto na Capital como no interior do Estado, levando em consideração o número de pessoas infectadas e de mortes pela COVID-19 e do número insuficiente de Vacinas. O sindicato reafirma o compromisso para controlar a crise sanitária, tanto que a entidade cumpriu com todas as recomendações e determinações feitas pelas autoridades locais e atualmente encontra-se no atendimento remoto em defesa da vida dos diretores, funcionários e filiados.

O SINPRECE se coloca à disposição das/os servidoras/es e filiadas/os para juntos construirmos medidas de proteção da nossa saúde e das nossas vidas bem como de quem amamos e da população que atendemos.

Em defesa da Vida, VACINA JÁ! Fora Bolsonaro!

Diretoria Colegiada do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social (Sinprece)